Projeto - KINROSS Paracatu

Em agosto de 2006, a Kinross Gold Corporation consolidou um projeto de expansão para elevar a capacidade de produção da mina de Paracatu de cinco para 15 toneladas anuais de ouro a partir de setembro de 2008, o triplo da atual.

O projeto também amplia em mais de 30 anos o tempo de vida útil da mina. Mais empregos, mais impostos recolhidos aos cofres públicos, novas perspectivas para as gerações futuras são algumas das conseqüências do plano, que vai movimentar não só a economia de Paracatu e do Estado de Minas Gerais, mas de todo o Brasil.

O projeto observa todos os cuidados ambientais necessários. Investimentos de US$ 570 milhões foram reservados ao projeto, que conta com uma nova estrutura de beneficiamento e de hidrometalurgia, a repotenciação da planta da Kinross, a construção de uma nova barragem de rejeitos, a implantação de uma planta de flotação, entre outras ações.

Detalhes dos Projetos

  • Data: 2014 / 2015
  • Localização: Paracatu, Minas Gerais, Brasil
  • Categoria: Consultoria e Verificação da Rede PROFIBUS DP e Calibração de Sensores de Temperatura Raytek; Modificações elétricas e instrumentação na Troca do Britador Metso - HP200 para Britador Metso - HP300 Britagem Planta I; Serviços de Instalações Elétricas para a instalação de sistema de automação das bombas 64-BO-506A/B; Fornecimento de Serviço de Instalação elétrica sistema de iluminação de emergência; e Fornecimento de Projetos detalhados de Elétricos.
  • Investidor: Kinross Brasil Mineração S.A.

Contempla ainda o plano de fechamento de mina, baseado nos princípios da sustentabilidade que norteiam as operações da empresa.

A mina, em princípio, atingiria a exaustão em 2016. Agora, a vida útil se estende até 2040. O volume de minério lavrado passa das atuais 17,2 milhões de toneladas por ano para uma capacidade nominal de 61 milhões de toneladas ao ano. A operação da primeira fase terá início previsto para julho de 2008, quando a produção anual deverá atingir dez toneladas de ouro. O ápice – 15 toneladas ao ano – será atingido até o final do ano.

A expansão está gerando cerca de dois mil empregos durante o processo de execução das obras. Quando a extração de ouro alcançar 15 toneladas, deverão ser criados 154 novos postos de trabalho direto, mais de 20% do total de empregos efetivos hoje mantidos. Outros 104 profissionais terceirizados devem ser beneficiados pela expansão.

Também no grupo de empregos indiretos, os números atingem grandes proporções: estima-se um aumento de 3.317 postos de trabalho, divididos entre toda a cadeia de fornecedores da Kinross, incluindo empresas e profissionais sediados fora do município de Paracatu. Considerando o efeito-renda, metodologia aplicada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o volume de empregos a partir do projeto pode chegar a 10.840.

O projeto contempla também o plano de fechamento da mina, contendo todas as medidas necessárias para a devolução adequada da área para o município de Paracatu.

Benefícios

A geração de impostos é outro ganho para o município de Paracatu e para o estado. O valor da Cfem anual (Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais), por exemplo, saltará de R$ 1,8 milhão para R$ 5,16 milhões para o município. A Contribuição para o Valor Adicionado Fiscal (VAF) será 20% maior do que o atual.

A economia de Paracatu também está sentindo os reflexos da expansão. A empresa estima que o valor de compras que estão sendo realizadas no município de Paracatu aumentou de R$ 22 milhões para mais de R$ 60 milhões anuais, no período de implantação da obra.

Kinross.
Disponível em: http://www.kinross.com.br/projeto_expansao.php?id_category=5